3 minutos de leitura
MasterChef está de volta!
O "Profissionais" fica só no nome

O MasterChef voltou! E junto, voltaram as tretas, os atrasos, as broncas, a tensão, o mezanino falante e principalmente a fome durante o programa.

Desde o anunciou da nova edição, a Profissionais, surgiu certa curiosidade em todos que acompanham o programa. As dúvidas foram surgindo. Quem seriam os competidores? Como funcionaria? Mas todos pensaram a mesma coisa, que o programa seria de altíssimo nível, com pratos bem feitos e uma cozinha nada amadora. Com concorrentes apresentados, alguns donos e/ou chefes de restaurantes, outros com cursos em renomadas escolas de gastronomia, o currículo confirmava as expectativas que eram realmente  profissionais. 

Bem, na prática, não foi muito assim. Os erros foram absurdos, camarão sujo, peixe com espinha, dedo cortado, apresentação feia, carne crua, falta de atenção, de respeito e de profissionalismo.

Se os competidores não são tão profissionais assim, as provas parecem ser e foram uma surpresa agradável. Na primeira parte do programa, participantes foram divididos em dois grupos, o primeiro teve que fazer a releitura de um clássico, o talharim à carbonara onde Ivo fez o básico e levou a prova. Eliane, João e Rodrigo foram os piores, a primeira acabou eliminada e os outros fariam mais uma prova. Para o segundo grupo, uma prova de habilidade onde tinham que fazer comida mediterrânea com peixes. Dário, o santista, venceu a prova e encantou o̶s̶ j̶u̶r̶a̶d̶o̶s̶  o Brasil todo com sua postura. Fernanda, Marcelo e Izadora foram os piores. Fernanda se esqueceu que a comida tinha que ser mediterrânea, fez um prato brasileiro, quis enganar os chefes e acabou passando vergonha: foi a eliminada.

Marcelo, Izadora, João e Rodrigo foram para prova final, da última eliminação. Uma prova bem elaborada e inédita no programa, onde os participantes trabalhariam juntos e seriam avaliados pelo comportamento. Aí a coisa ficou feia de vez, a bagunça foi tão grande, que Ivo e Dário, os vencedores das provas, foram chamados para ajudar. 

Comandados por Paola, os quatro teriam que preparar pratos e servir 30 pessoas de acordo com as comandas pedidas. Ivo ajudou na comida, mas atrapalhou Izadora, desrespeitando-a e a tratando como se mal ela soubesse cozinhar. Embora ela estivesse bem devagar e perdida, não havia justificativa para atitude dele.

Já João desafiou a chefe Paola: respondeu, deixou ela falando sozinha, riu enquanto ela falava e já ocupa o cargo de arrogante da edição, mas foi o melhor na execução dos pratos. Na hora da montagem dos pratos, Ivo e Dário voltaram pro mezanino. Marcelo e Rodrigo estavam tão perdidos quanto Izadora e quatro pratos voltaram com carnes e camarões crus. 

Marcelo e João foram considerados os melhores da prova e Rodrigo e Izadora ficaram como os piores. Izadora, desestabilizada emocionalmente durante a prova saiu e garantiu que o programa é muito mais fácil pela televisão.

Fácil ou não, pro público ficou a certeza de que em certos momentos, os cozinheiros amadores cozinham e são mais organizados que os profissionais. Por enquanto, o “Profissionais” fica só no nome. Vamos aguardar os próximos capítulos.